A Prefeitura de Saquarema, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, abre ao público, a partir do dia 13 de julho, na Casa de Cultura Walmir Ayala, a Exposição “Essa Folia é de Reis”, elaborada pela Pró-reitoria de Extensão e Cultura da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ.

Além de textos e fotografias, a mostra é constituída por altar com imagens de santos e outros elementos do catolicismo popular, bandeira de Folia De Reis, chapéu de folião e fardas de palhaços (calça, camisão, máscara e capacete). A parte mais expressiva é um conjunto de 23 máscaras de palhaços, coletadas em território fluminense, por ocasião da pesquisa que fundamentou o pedido de reconhecimento das folias de reis como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, encaminhado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

A exposição também contará com uma sala exclusiva, onde serão mostrados os itens recentemente doados ao Centro de Memória por Dilcelene e Ana Maria Roque de Miranda, filho e filha de Edilson Martins Miranda, conhecido como Mestre Boca de Velho, fundador, no ano de 1967, no distrito de Sampaio Corrêa, da originalmente chamada Folia de Reis Estrela Dalva do Oriente, hoje extinta.

A coleção referente à Folia de Reis Estrela do Oriente, como efetivamente ficou conhecida a agremiação, é constituída por mais de vinte itens que passaram por processo de conservação e selecionados para enriquecer a mostra. São instrumentos musicais – a maioria de percussão -, adereços diversos, além de material fotográfico e depoimentos gravados em vídeo pelo Mestre Boca de Velho, registrando a memória da Folia de Reis em Saquarema. A incorporação desse acervo à exposição é, também, uma justa homenagem ao fundador da última Folia de Reis do município, que resistiu por cinco décadas mantendo a tradição, sempre acompanhado de sua sanfona de oito baixos, entoando os cânticos rimados da festa religiosa.

A exposição estava para inaugurar, quando a Secretaria Municipal de Cultura foi surpreendida com a doação da coleção do Mestre Boca de Velho, levando ao adiamento, conforme explica o Secretário Manoel Vieira: “Diante da relevância do acervo e da importância que a sua divulgação tinha para os familiares, não houve dúvida quanto a adiar a inauguração e enriquecer a experiência do público visitante. A nova versão da exposição teve seu espaço ampliado para mostrar o contexto dos festejos em Saquarema, eternizados no acervo – um pedaço da história que agora é todos – que os filhos do Sr. Edilson fizeram questão de compartilhar com os saquaremenses.”

Também conhecida como Reisado ou Festa de Santos Reis, a Folia de Reis está associada à tradição cristã de origem portuguesa e espanhola e foi difundida com mais ênfase no Brasil no século XIX. A celebração tem como intuito comemorar a visita dos três Reis Magos (Gaspar, Melchior – ou Belchior- e Baltazar) ao menino Jesus e trata-se de uma das mais importantes festas folclóricas do Brasil. Durante os festejos, grupos de Folia formados por um mestre ou embaixador, um contramestre, os três Reis Magos, palhaços, alfeires e os foliões, todos devidamente adereçados e mascarados, dançam ao som de violas, pandeiros, tambores, acordeons e outros instrumentos, desfilando pelas ruas das cidades.

Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo e Goiás são os estados onde a festa se faz mais presente, no período entre 24 de dezembro e 06 de janeiro (Dia de Reis ou Dia dos Reis Magos). No Estado do Rio, esse ciclo costuma ser estendido até 20 de janeiro, quando se comemora o dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro.

A Casa de Cultura Walmir Ayala fica na Rua Cel. Madureira, 77, Centro; e a exposição “Essa Folia é de Reis” estará aberta ao público, com entrada gratuita, de segunda a quinta-feira, das 9h às 17h. Às sextas-feiras, das 9h às 19h, e aos sábados, das 17h às 20h.